quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Chat do Informativo


Get your own Chat Box! Go Large!

O chat do informativo é uma nova ferramenta de comunicaçao dentro do Blog e ficará sempre aqui na cabeça da página fazendo a ponte para que, cultivadores de todo o Brasil e de todos os níveis possam chatear, comentar as matérias, incrementar idéias, dar sugestoes, analizar pontos de vista e etc. O mais importante é que o espaço está aberto e agora podemos trocar informaçao!
O Professor Cannábico vai estar sempre de olho no chat e quando tiver um tempo, vai estar trocando uma idéia com a galera, tirando dúvidas e dando sugestoes.

Saudaçoes cannábicas!!!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Acupuntura Cannábica


Você tem uma árvore que tem tudo para frutificar e não frutifica?
Ou um arbusto que tem tudo para florescer e não floresce?
A solução para o problema pode estar na ACUPUNTURA VEGETAL.



A acupuntura é tão antiga que data de 3000 anos antes de Cristo. Talvez por isso, seja o aspecto mais conhecido da milenar medicina chinesa. E não é de hoje, entre nós, sua fama de "milagrosa". Consta que a difusão no Ocidente se deu a partir das célebres viagens de Marco Polo, quase setecentos anos atrás.
A acupuntura é uma ciência e, como toda ciência, uma coisa complexa. Em todo o caso, poderíamos dizer que seu princípio básico é a busca do equilíbrio entre os polos positivo e negativo da energia que faz funcionar os seres vivos. Mal comparando, seria como se os seres vivos funcionassem a exemplo de qualquer aparelho elétrico.
Nestes, como se sabe, existem dois polos de eletricidade (positivo e negativo), e o aparelho simplesmente não funciona se estiver ligado à apenas um dos polos e funciona mal se houver desarranjo entre eles.Se você tem corrente de 220 volts em casa, fica mais fácil entender. Já deve ter observado que, quando por um problema qualquer "cai uma fase", a luz das lâmpadas fica fraquinha, o liquidificador gira devagar e alguns eletrodomésticos nem funciconam. Aí chega o pessoal da companhia de eletricidade e religa a tal "fase".

Feito isso, desaparecem os sintomas dos problemas e, se o desequilíbrio de energia, não danificou irremediavelmente nenhuma "peça", tudo volta funcionar normalmente.Agora, façamos a seguinte analogia. Imagine que exista num determinado ponto de um ser vivo qualquer, uma sobrecarga de energia positiva ou negativa. Este ponto, esta "peça", passa a funcionar mal e, conseqüentemente, tende a comprometer o funcionamento da "máquina" inteira. É aí que entra a acupuntura. Através de agulhas metálicas, já que os metais, sobretudo o ouro e a prata, são ótimos condutores de eletricidade descarrega se o excesso de energia (positiva ou negativa) deste ponto.
Restabelecido o equilíbrio a "peça" volta a funcionar direito, desaparecem os sintomas do problema e a "máquina" passa a funcionar em condições normais.Deu pra entender? Só que a acupuntura é de origem chinesa e, obviamente, tem toda uma terminologia própria. Assim, por exemplo, a energia positiva é chamada Yin, e ao conjunto das duas, a energia vital, os chineses deram o nome de Ki.A essa altura você deve estar se perguntando: e a tal da acupuntura cannabica? Pois bem, vamos a ela. Foi um médico brasileiro quem talvez primeiro pensou no assunto. Trata se do Dr. Evaldo Martins Leite, que publica trabalhos à respeito desde 1976 e vem interessando no assunto outros acupunturistas, médicos e agrônomos.



As pesquisas do Dr. Evaldo em acupuntura é no que se refere a reprodução, floração, frutificação, produção de sementes e crescimento das plantas. Pesquisa agora, maneiras de aumentar a resistência dos vegetais a pragas e doenças.Segundo Dr. Evaldo, a energia positiva (Yang) é a responsável pelo crescimento e formação da copa das plantas. A energia negativa (Yin) responde pela formação de frutos, flores e sementes. Resultados satisfatórios, portanto, dependem da perfeita distribuição e do equilíbrio dessas energias em todas as células vegetais.Entretanto, não se pode perder de vista que, seres humanos ou plantas também precisam de alimento e de determinadas condições para que tenham desenvolvimento satisfatório.

Assim, do mesmo modo que acupuntura nenhuma funcionaria numa pessoa que não se alimenta direito, ou que sobrevive em condições extremamente adversas, também não funcionaria em plantas que não encontrassem condições adequadas de subsistência. Em resumo, se as condições básicas estão sendo satisfeitas e, mesmo assim, a planta não floresce, por exemplo, a acupuntura pode resolver o problema. Caso contrário, não.Faça você mesmoDr. Evaldo assegura que, após suas pesquisas, fazer acupuntura em plantas não requer nenhuma grande especialização. Qualquer pessoa com um mínimo de conhecimento pode fazer.
Basta ter em mente os seguintes critérios:Os pontos de energia, nos vegetais, situam se principalmente na junção. Ou seja, na junção entre o caule principal e os secundários (que derivam dele). Em cada um dos ângulos formados por esta junção situa se um ponto de energia acumulada. Um ponto de energia que pode ser estimulado.Os pontos Yang, de energia positiva, responsáveis pelo crescimento e formação da copa, predominam nos angulos extemos.Os pontos Yin, de energia negativa, que respondem pela formação de flores, frutos e sementes, predominam nos ângulos internos.Para a frutificação ou florescimento, é fundamental que o tratamento seja feito cerca de um mês antes da época prevista para início da brotação. A acupuntura deve ser aplicada nos ângulos internos, onde se acumula a energia Yin de polaridade negativa.
Faça o seguinte:Insira, no ponto mais central (vértice) de 6 ou 7 das principais "forquilhas" da planta, dependendo do porte, pregos ou alfinetes. Se árvores e arbustos grandes, pregos; em plantas menores, alfinetes.Os pregos ou alfinetes devem ser colocados com uma inclinação tal, que dividam exatamente ao meio cada um dos angulo internos das axilas. E devem ser empurrados, neste angulo, até uma profundidade de mais ou menos 1/5 do diâmetro do ramo.Retirar, ou não, os pregos após a reação da planta fica a seu critério. Não é relevante.Para estimular o crescimento, é fundamental que o tratamento seja feito no final do período de repouso vegetativo da planta.
Na maioria dos casos, portanto, no final do inverno.Proceda do mesmo modo explicado anteriormente, só que a acupuntura deve ser aplicada, obviamente, nos angulos externos, onde predomina a energia Yang (positiva).Nada impede que ambos os tratamentos para florescimento e crescimento, por exemplo, sejam feitos simultaneamente.


" O importante é você ter em mente que a acupuntura é um processo de cura. Só deve ser usada, portanto, em casos de real necessidade.é isso ae galera, bom, eu não testei essa acupuntura ainda, mas aqui na minha cidade tem uma mulher que vai nas praças e fica martelando as arvores e os arbustos, inclusive foi com ela que me interessei a pesquisar essa tecnica, pois ela disse q todas as plantas são receptivas, logo me informei e vi q ela não estava dizendo nenhuma bobagem...bom é isso ae pessoal!!"



Enviado por: Pirata

domingo, 21 de setembro de 2008

Cultivo em interior passo a passo: COLHEITA, SECAGEM E CURA


A colheita, a secagem e a cura de uma planta de cannabis madura são o clímax da experiência de plantio, e os últimos passos na proclamação da independência do mercado negro.
Aqui deixamos todas as dicas para vc degustar aquela erva que dedicou tanto carinho ao cultivar, com mais sabor, perfume e altos níveis de THC !!!
Apesar destes serem os últimos passos, são os mais críticos para o produto final. A colheita, por exemplo, dependendo da habilidade do cultivador em julgar a maturidade da planta, pode diminuir ou aumentar decisivamente os níveis de THC, assim como os níveis de CBN e CBD.A cannabis é colhida quando as flores estão maduras. A melhor indicação de maturidade é a cor dos pistilos das flores. Durante o curso do período de florescimento, esses pistilos começam a morrer e dependendo da espécie da planta, modificam suas cores para tonalidades de marrom, laranja etc. Muitos cultivadores escolhem colher a planta quando 60 a 75% dos pistilos ou "pêlos" mudaram de cor. O tempo ideal de colheita varia de acordo com a espécie de cannabis, então a melhor forma de saber a hora de colher é através da experimentação. Tente colher amostra das flores durante períodos diferentes durante o florescimento (Uma com 6 semanas, outra com 7 semanas, etc) para determinar qual o melhor período de sua escolha.Quando colhidas antes do tempo, as flores de cannabis contém baixa concentração de CBN e CBD, porém mantendo alta concentração de THC. Para alguns, as flores imaturas são desejáveis por manterem altas doses de THC, provocando uma onda "pra cima" e cerebral.Quando colhidas em estado mais maduro, os níveis de THC caem e aumentam os níveis de CBN e CBD. Essa flutuação causa uma onda mais introspectiva e chapada. Travado no sofá é bom já ter a comida da larica preparada...O produto final da planta depende diretamente da sua escolha do período de colheita, nutrientes que você forneceu durante a vida de sua planta, o tempo vegetativo permitido, mistura de solo/solução hidropônica usada, e muitas outra variantes. Tenha em mente que um "camarão" pesa mais quando totalmente maduro e recém colhido. Após a secagem e cura apropriada a média de perda de peso pode chegar a 75% do peso original.Por impaciência, a maioria dos cultivadores novatos querem colher flores cedo. Tudo bem! Certifique-se, porém, de colher flores do meio pra cima da planta. Permita ao resto, continuar a maturação. Frequentemente o topo da planta atinge a maturidade primeiro, colha isso e permita o término da maturação. Você notará as flores inferiores se tornando maiores e mais resinosas ao atingir a maturidade completa. A produção de um modo geral pode ser aumentada dessa forma, ao permitir que os galhos inferiores recebam maior quantidade de luz e por isso mais atenção dos processos químicos internos da planta. Use uma lente de aumento e tente ver os tricomas entroncados (pequenos cristais de THC sobre a flor). Se a maioria estiver clara, e não marrom, o ápice do buquê floral está próximo. Quando a maioria desses tricomas atingirem uma coloração marrom, os níveis de THC estarão caindo e a flor estará perdendo potencial, declinando rapidamente com a exposição à luz e ao vento. Não colha tarde de mais! Observe as plantas e aprenda o tempo ideal de colheita no ápice da potência floral. A manicure costuma ser a parte mais tediosa do processo de cultivo. É o ponto onde você remove todo o excesso de folhas e galhos indesejados de suas flores. Pode ser feito de duas formas, com a planta seca ou ainda verde. A manicure verde costuma ser mais limpa, com as folhas ainda húmidas não se faz muita sujeira, enquanto a manicure seca pode virar um chiqueiro.Utilize um par de tesouras ou alicate afiado e limpo para remover o excesso. Comece pelas folhas maiores e movendo gradativamente para as menores, para facilitar o serviço.Algumas pessoas costumam cortar em volta da flor como se estivessem fazendo um corte de cabelo, deixando apenas a "pepita" de THC.Não seque as flores de cannabis ao sol, esse processo reduz a potência dos "camarões". Seque lentamente suas flores pendurando-as ou deitando-as em uma área ventilada, é só o que é preciso para assegurar uma grande sensação. A Flor é muito mais agradável ao paladar quando secada vagarosamente durante algumas semanas, dependendo da densidade das flores. As mais gordas e pesadas levam mais tempo.Se você não resistir e a pressa falar mais rápido, você pode secar uma pequena quantidade entre folhas de papel ou saco de papel (Ex: saco de pão) no microondas. Fique de olho para não tostar as bichinhas. Apesar de conveniente, o resultado final será um fumo amargo e áspero de gosto desagradável, já que a clorofila não teve a chance de se transformar em amido e açúcar.Uma boa indicação de um "camarão" bem seco é o caule. Se você puder envergar um pouco o caule antes dele quebrar, é sinal que a flor está pronta para cura. Essa é outra fase crítica da experiência de cultivo. Uma flor bem curada é muito mais potente do que uma que não foi curada. Seguindo um processo simples pode se conseguir um ótimo sabor de fumo e uma viagem inesquecível. Jarras de vidro, latas de metal ou Tupperware, além de outros potes podem ser usados para curar suas flores. Coloque as flores propriamente secas no pote de sua escolha e deixe descansando em um lugar fresco e escuro. Remova a tampa do pote diariamente e vire as flores, permitindo que o dióxido de carbono escape. Repita esse processo por cerca de 2 semanas, o até alcançar o gosto e/ou potência desejados.Finalmente, assegure-se de manter as suas flores secas e curadas longe da exposição de calor ou luz. Fazendo isso você terá a garantia de longa vida de sua própria colheita!
Boa Sorte!

domingo, 14 de setembro de 2008

Absorva toda a informaçao do Informativo Cannábico

Os nossos leitores tem demonstrado um pouquinho de dificuldades em encontrar as matérias postadas nos meses anteriores e assim poder ter acesso aos tutoriais por completo.


E para que nao haja mais dúvidas, eu, o Professor canábico, venho explicar exatamente o que tem que ser feito passo a passo para que voce possa encontar o que quiser dentro da "nossa casa"!

1- Clique no buscador de matérias que está encima da barra lateral na página do Blog.




2- Escolha o mes desejado. (O Blog existe desde Outubro de 2007)


3- Deslize a barra lateral e boa viagem!!!

As matérias estao todas com suas respectivas datas e todos os posts estao completos.

Espero ter podido ajudar mais uma vez!!!

Abraço a todos,

PAZ !

sábado, 13 de setembro de 2008

O outro lado da moeda.


O que vamos ler nessa entrevista com o Coronel da policia militar do Rio de Janeiro feita por um grupo de alunos da UFF/RJ é sem dúvida nenhuma o que chamamos de " O outro lado da moeda."

O filme Tropa de Elite tem gerado discussões e falácias. Uma delas se refere ao pseudo-ineditismo dos que surgem propondo a liberação do uso de drogas. Ora, em outubro de 2006, fui entrevistado por uma equipe do informativo da UFF/RJ (AFASTA DE MIM ESTE CALE-SE), e na ocasião gravei duas frases: a) “Eu sou favorável à descriminalização total do uso da droga, para mim o uso da droga não devia ser crime.”; b) "Há hoje um percentual de viciados na sociedade e dentro do aparelho policial também. Eu presumo que um considerável percentual da tropa use drogas.” Na verdade, cheguei até a especular um percentual, talvez uma temeridade, mas é o que ouço à boca pequena no meio policial-militar, especialmente em vista do excessivo consumo de álcool entre os PMs.É fácil verificar: basta entrar no Google grafando “coronel Emir Larangeira”. Lá está resumida a minha opinião forjada em reflexões e ações que encetei contra o tráfico em favelas, pelos idos de 1989, na Zona Norte do Rio. Quem conhecer minha modesta obra literária concluirá que falo com a autoridade de quem prendeu o mais famoso traficante daqueles tempos (Cy de Acari). Ele faturava em média um milhão de dólares de dez em dez dias e mantinha estupenda indústria de processamento de drogas na favela, empregando idosos e crianças às centenas.Quando eu comentava sobre esses valores, os jornalistas duvidavam de mim. Enfim, montei uma operação policial, numa sexta-feira, em apenas uma rua no interior da favela (Rua Piracambu), com duração de uma hora. Foram detidos, nesse tempo cronometrado pelo Jornal O DIA, 250 viciados. Se ficássemos um pouco mais, nem sei, os viciados vinham de enxurrada. Relato o fato em livro disponível no meu site (Cavalos Corredores – a verdadeira história). Aliás, na contramão da afirmação de que os “rapazes de classe média” sustentam o tráfico nas favelas, só se agora é assim, pois naqueles idos em que detive os viciados, todos, sem exceção, eram pobres; como se dizia na gíria: pés-de-chinelo. E assim era alimentada a famigerada “robauto”, que funcionava impunemente nas imediações da favela de Acari, local o­nde se vendia de parafusos a automóveis geralmente furtados e/ou roubados e utilizados como moeda de troca pelos consumidores de maconha e cocaína.A verdade é que, comparando o potencial repressor dos EUA com o nosso, por exemplo, estamos 200 anos atrasados em relação ao Tio Sam. Sabemos, portanto, que nenhum poder financeiro acabará com o tráfico; fomenta-o, isto sim. Sabemos que a droga apreendida no Brasil não passa de um mínimo em relação ao todo que segue ao consumo local e internacional. Somos rota segura e bons consumidores.
Sobre o assunto eu poderia muito mais escrever, porém me prendo tão-somente ao fato de que a repressão jamais erradicará de nosso orbe o tráfico de drogas e de armas (um alimenta o outro e vice-versa), sendo certo que os países fabricantes de armas dependem sobremodo do tráfico para sustentar esse outro ignominioso comércio. As guerras não são suficientes para atender à insanidade dos fabricantes de material bélico.
Sejamos realistas. Por acaso a droga proibida é menos danosa à saúde que o álcool ou o cigarro?... Que manancial de drogas existe à disposição dos usuários? Quem são eles?... Esta última indagação é meu apoio para a defesa da descriminalização do uso de drogas: não se pode cuidar de um problema sem o conhecer em extensão e profundidade. Proibir o uso da droga é empurrar para o submundo do crime toda a verdade contida no consumo, único caminho para resgatar os usuários. Pois a prisão de traficantes não conduz a solução nenhuma. Tal afirmação me faz lembrar do tempo em que a lança-perfume era liberada. Alcancei esses tempos dos carnavais regados a lança-perfume, que era espirrada nas costas das meninas e cheirada à larga. Somente no carnaval, pois a cultura do seu uso limitava-se ao período momesco. Mas hoje, criminalizada, circula no submundo o ano todo. Enfim, primeiro a proibição e depois o pecado...
Outro exemplo marcante resume-se na “lei seca” norte-americana. Durante 13 anos, 11 meses e 24 dias os americanos se encharcaram de bebidas contrabandeadas ou clandestinamente fabricadas por mafiosos. Jamais se bebeu tanto nesse período iniciado em 1920 por conta da 18ª Emenda à Constituição daquele país; jamais o crime faturou tanto como nesse período de proibição; jamais morreram tantos americanos envenenados por bebidas ruins.
Ora!... Essa idéia, decorrente do filme Tropa de Elite, de que o usuário fomenta o tráfico, faz-me lembrar outras falácias retumbantes: o favelado é culpado por existirem as favelas, o miserável é culpado pela miséria, os doentes sem eira nem beira são culpados pela falência do sistema estatal de saúde e por aí se vão avolumando os silogismos erísticos.Contudo, devo evidenciar que minha opinião sobre a liberação do uso de drogas não se reduz a um anárquico “libera geral”. Penso que o tema deva ser discutido com seriedade e transparência, e que as medidas propostas garantam o fim do tráfico nas favelas como também em quaisquer outros lugares. Mas como a favela “vendedora de drogas para mauricinhos e patricinhas” é o foco primordial do filme, devemos então bradar: “Chega de principado do crime!” Pois a reconquista da liberdade do povo humilde justifica qualquer medida governamental e societária no sentido de erradicar o Poder Paralelo do tráfico. Mas de uma coisa eu tenho certeza: repressão policial jamais acabará com o tráfico, nem na favela, nem no asfalto, nem aqui, nem algures.


Emir Larangeira

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Cultivo de interior passo a passo: FLORAÇAO


Bem, depois de seguir os tópicos anteriores desse tutorial que estao nas postagens mais antigas do Blog, plantar as sementes e fazer o ciclo de crescimento vegetativo da planta, agora é a hora de fazer a bichinha florescer bem gordinha para que possamos colher as flores que tanto desejamos!!!

Em geral, no cultivo em interior deixamos a planta desenrrolar o seu crescimento vegetativo por um mes e meio, e dependendo da altura total que o armário suporta, em casos de plantas mais baixas menos dias e em casos de plantas maiores mais dias de crescimento (em torno de 10 dias a menos ou a mais)

A fase final do crescimento vegetativo é muito importante porque é a época que a planta poe as suas pré-flores para fora e assim mostra qual é o seu sexo. As pré-flores podem começar a sair tanto no final do crescimento vegetativo como no princípio da floraçao que é quando trocamos o ciclo da luz(foto-período) acesa de 18h para 12h.

Algumas plantas atrazam um pouco esse processo demorando a mostrar o sexo, mas trocando o ciclo da luz podemos em uma semana ou dez dias ter as primeiras pré-flores já indicando o sexo das plantas. Se acaso as pré-flores sairem antes do final do crescimento vegetativo melhor, porque, quanto mais cedo pudermos indentificar o sexo das plantas mais cedo podemos tirar os machos para que suas flores nao tenham tempo de abrir, soltar seu pólen e fecundar as femeas.

Lembrem-se de que fumamos as flores das femeas que produzem THC em quantidade muito maior que os machos. O THC é uma resina produzida pela planta em forma de tricomas e tem como sua funçao principal, captar (fazer grudar) o pólen do macho para que a fecundaçao aconteça e assim a planta inicie a produçao de sementes. Produzindo sementes a planta entende que já cumpriu o seu ciclo de reproduçao e deixa de produzir THC para se dedicar exclusivamente a produçao de sementes. (Já perceberam que o fumo "palha" sempre vem com muitas sementes?) Entao, é por isso!!!
O THC tem como funçao secundária na planta protege-la do calor.

Fotos de pré-flores macho e femea:




















.
Na hora que conseguimos identificar os machos no cultivo, entao rápidamente é a hora de matá-los para que nao dar tempo das flores se abrirem.
Trocando o foto-período (tempo de luz) de 18h para 12h diárias vc vai induzir a planta a começar a sua floraçao e os pistílhos (esses pelinhos brancos) começam a sair mais e mais até que a planta esteja madura.
Quando a planta chega na sua fase final de floraçao tende a ficar com as suas folhas um pouco amareladas.

Raças e variedades de cannábis tem tempos de floraçao diferentes, alguns tipos de plantas podem levar mais tempo para florescer, uma sativa por exemplo, leva de 12 a 14 semanas de floraçao, enquanto as cannabis índicas levam de 6 a 9 semanas. As cannabis afghanas entre 8 e 10 semanas de floraçao e as ruderalis sao as mais rápidas levam de 4 a 6 semanas e nao reagem sua floraçao a luz como todas as outras, ela simplismente nasce, cresce e floresce com qualquer quantidade de horas de claridade tiver o dia ou horas de lampada acesa, tem pouca potencia de THC mas existem híbridos(cruzas com outras plantas) muito bons.

Fotos da floraçao seguindo:
.











começo de floraçao















meados de floraçao

final de floraçao

Na fase da floraçao o adubo tem que ser trocado pelo mesmo npk, só que em vez de usar o npk 10-10-10 usaremos o npk 5-15-5 que é mais rico em fósforo.As plantas diferentemente do seu crescimento vegetativo, que é a fase que consomem mais nitrogenio, precisarao, na fase de floraçao, mais fósforo do que os outros nutrientes.O calcio é consumido em ambas as fases da planta sendo sempre utilizado por ela.(qualquer dúvida ver artigo antigo sobre nutrientes).

E como sabemos quando devemos colher a planta?

Ótima pergunta!


Próximo artigo do tutorial Cultivo em interior passo a passo : Colheita

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Cultivo em exterior



Para muitos cultivadores, o plantio ao ar livre é o melhor método. Ele produz "camarões" mais potentes e ao contrário do plantio em estufas, você poderá cultivar "monstros" de 4 metros de altura se as condições forem favoráveis. Sendo a cannabis uma planta naturalmente robusta e de crescimento rápido, ela irá prosperar com bastante sol, mas também produzirá satisfatoriamente com apenas 5 horas de sol direto diariamente. Os raios solares, por terem grande penetração, alcançarão tanto a parte superior como a parte inferior da planta, permitindo um crescimento uniforme quando diretamente expostas ao sol.

Da semente à colheita, o plantio ao ar livre pode ser longo, e apesar de muito prazeroso, o cultivador poderá enfrentar vários problemas. Nos 6 meses ou mais que a planta leva para se desenvolver, chuva e vento podem danificar as flores e animais silvestres e insetos podem comer e destruir sua planta completamente. Essas questões devem ser consideradas e o cuidado redobrado para se evitar problemas.
Entre os muitos benefícios do plantio ao ar livre estão: Não precisar se preocupar com conta de luz, orçamento de estufa, exaustores, luzes, regulagem periódica dos ciclo diurno/noturno, etc.
Diferente do cultivo em interior(estufa), o cultivo em exterior é feito apenas uma vez ao ano e dependemos totalmente das estaçoes do ano para ter êxito total! A cannabis tem que ser germinada no princípio da primavera quando os dias ficam mais longos chegando a 16 ou 18 horas de luz/dia, passando de crescimento vegetativo toda a primavera e princícpios de verao. A planta começa a sua floraçao quando os dias começam a encurtar mais ou menos em meados do verao e assim seguem florescendo com 12 horas de luz/dia, estando maduras no final do verao, pronta para a colheita, depois temos que esperar o outono e o inverno passarem para poder germinar denovo.
Em algumas regioes do Brasil que sao mais quentes, se consegue colher duas vezes ao ano com o auxílio de lampadas para complementaçao de horas de luz na fase de crescimento vegetativo e invernadeiros como proteçao do frio, vento e chuvas.
.
Outros fatores importantes a serem levados em consideração são: Segurança, máxima necessidade de luz direta, qualidade do solo da área escolhida e disponibilidade de água. A junção desses fatores ajudará o cultivador a escolher o melhor local para sua área de plantio. Exposição solar é o primeiro fator ao se localizar um lugar, então tente achar um local inóspito onde o sol incida diretamente pelo maior período de tempo.
Se for necessária a escolha entre o sol da manhã e o da tarde, já foi provado que o sol da manhã tem maior penetração.
.
A exposição ideal seria entre às 8 da manhã até às 15 horas, embora entre às 10 e 16 horas seja suficiente. A exposiçao ao sol é muito necessária para a planta, pois todo o metabolismo da cannabis funciona através da luz, a planta recebe a claridade do dia como o foto-período do crescimento vegetativo ou da floraçao, mas se a planta nao ficar exposta ao sol pegando luz direta durante as horas mencionadas acima a planta nao atingirá o seu melhor nível.
Áreas abertas tem maior exposição solar, porém se for em um terreno inclinado, o lado sul terá maior incidência. Tenha em mente que a luz solar em grandes altitudes é mais intensa devido ao ar rarefeito. A exposição Leste/Oeste é benéfica para se conseguir o sol da manhã e da tarde.
Existem muitas precauções que o cultivador deverá tomar para proteger sua colheita de saqueadores e da lei, incluindo podar os galhos para disfarçar o formato característico da planta de cannabis, dobrar a planta, além de plantar outras espécies em volta, como soja, tomate, bambú, cana de açúcar, etc.
Quando o cultivo estiver longe de sua casa, numa área inóspita, o acesso à água pode ser problemático. Após a escolha do lugar, longe dos olhos curiosos e com sol em abundância, esse deverá ser o próximo fator em consideração. É preciso que haja uma fonte de água por perto ou pelo menos próxima da superfície, já que de outra forma você deverá carregá-la. Água é pesada e regar dessa forma dará muito trabalho, além dos riscos de se andar até as plantas a cada 4-5 dias em pleno verão.
O cenário ideal seria canalizar água de uma fonte em um terreno mais acima, e criar um sistema de gotejamento para alimentar suas plantas em um intervalo fixo. Um pouco de engenharia e criatividade pouparão muito trabalho. Você também deverá decidir se irá plantar direto no solo, que é de longe a melhor opção, ou usar vasos grandes. Plantando direto no solo exclui a possibilidade de raízes emaranhadas e a necessidade de transplante. Embora plantar em vasos permita a mudança de lugar caso a segurança de sua colheita esteja ameaçada, também facilitará a vida de eventuais saqueadores. Uma forma de se impedir isso seria enterrando os vasos.
Uma vez tomada a decisão do lugar apropriado, você deverá começar cavando um buraco grande com pelo menos ½ metro de profundidade. Quanto maior melhor, e se você encontrar raízes de árvores, lembre-se de cavar o buraco o mais largo possível. A qualidade do solo deverá ser analisada, muito embora não exista um tipo de solo perfeito para cultivo de cannabis. Diferentes variedades de espécies crescem em diferentes tipos e condições de solo. Seu objetivo será um solo aerado e de boa drenagem, com alta disponibilidade de nutrientes e com Ph médio. Alguns cultivadores procuram manter o Ph entre 6.3 e 6.8. A planta de cannabis cresce de forma pobre em solos muito compactados, com pouca drenagem e Ph extremos. Você poderá melhorar o terreno misturando condicionadores de solo e compostos orgânicos.
Plantas criadas em solo ao ar livre, crescerão muito mais e necessitarão de mais espaço do que plantas de estufa. O espaçamento entre as plantas dependerá da espécie, e também se a planta será podada em seu topo ou não.
Plantas podadas no topo crescem com uma base mais ampla, as vezes com o dobro de tamanho de uma planta não podada. Quanto mais espaço disponível entre as plantas, maior será a incidência dos raios solares, por conseguinte o aumento de sua produção.

Assim como veados os roedores temem os mesmos predadores, os métodos de cheiro de pêlos e urina também deverão funcionar contra eles. Porém existem algumas dicas especificas:
Coelhos – Evitam o cheiro de vinagre, por isso use sabugos de milho verde encharcados com vinagre e espalhe em volta do terreno. Os sabugos podem ser reutilizados. Espalhe uma mistura de pimenta do reino, caiena e páprica no solo em volta das plantas, isso assustará os coelhos fuçando sua colheita, porém esse método deverá ser renovado a cada chuva.

Gambás – Cercar a área com uma fronteira horizontal de materiais que os gambás não gostam de andar sobre, tais como plástico preto amassado, jornal, papel alumínio ou tela de galinheiro levemente acima do solo. Prenda-os com tijolos, pedras ou pinos de metal. Vinagre e bolas de naftalina também funcionarão contra eles.
Esquilos – Não serão problema até a fase de florescimento. Para repelir esquilos, misture flocos de naftalina, gesso e pimenta do chile. Espalhe ao redor da área de cultivo.
Ratos e Ratazanas – Essas criaturas podem arruinar totalmente sua colheita se elas entrarem no recipiente onde você guarda o seu produto final e comê-lo. O que os ratos não conseguem comer, eles defecam em cima, arruinando da mesma forma. Folhas de hortelã secas ou frescas são ótimos repelente, além de aromatizar seu produto.
Cães e Gatos – Se você tem uma certa dificuldade em manter o Rex ou o Félix longe do seu cultivo, aqui vão algumas dicas que não farão mal aos seus animais: Tente assustá-los com ratoeiras de cabeça pra baixo no solo. Isso funcionará não apenas com eles, mas com outras criaturas selvagens também. Mistura de pimentas também poderá afastá-los.
Lesmas – Em geral são comuns e podem até destruir suas plantas, não existindo um meio efetivo de se livrar delas a nao ser tirando o inseto da planta. Sapos, rãs e besouros são inimigos naturais das lesmas e serão bem vindos nas redondezas de seu jardim. Barreiras físicas são boas opções, mantenha em volta de seu jardim, cascas de ovo ou serragem. Manter um prato com sal pode ser uma forma de exterminá-las. Ou enrolar um pedaço de arame em forma de espiral na base de sua planta, isso impedirá as lesmas de alcançarem as folhas.
Insetos Comuns – Receita de repelente orgânico que funciona bem com a maioria deles.
Ingredientes:
3 pimentões verdes 2 ou 3 dentes de alho 3/4 Colher de sopa de detergente líquido 3 copos d’águaBata os pimentões e o alho no liquidificador e coloque o purê em um recipiente de borrifar junto da água e do detergente. Deixe por 24 horas e depois coe o purê. Borrife as plantas infestadas, tomando cuidado para não atingir as folhas.
Pulgões – Bata uma cebola e 2 dentes de alho no liquidificador com água, coe e borrife a planta protegendo as folhas.

terça-feira, 20 de maio de 2008

Técnica de dobragem de plantas

Observe na foto como a planta dobrada tem as suas ramas projetadas para a luz

Muitos cultivadores sofrem com o pouco espaço que os sobra para levar a cabo os seus cultivos de interior, tendo problemas com possíveis queimaduras em suas plantas. Também aqueles que plantam em exterior e tem problemas com plantas que crescem muito e acabam mostrando-se por por muros ou tapumes das casas a vizinhos e pedestres.
A criaçao da técnica de dobragem de plantas foi uma soluçao digamos "horizontal" para resolver muitos problemas de espaço em geral nos cultivos de todo o mundo.
O Informativo cannábico traz para voce todas as informaçoes de como fazer uma planta literalmente "crescer para o lado"!

Bem, primeiramente vamos explicar o porque de dobrar uma planta. Dependendo da espécie e da quantidade te terra que a planta tem para formar raízes o seu tamanho pode ser de 60cm até 4 metros. Variedades como a cannabis sativa sao muito grandes variando de tamanho em 1 a 4 metros de altura. As cannabis índica e afghana sao um pouco menores tendo os seus tamanhos entre 1 e 2 metros de altura, já a cannabis ruderalis é a menor de todas medindo entre 60cm e 80 cm. A quantidade de terra é fundamental para saber se a planta vai crescer muito ou nao, plantas sativas plantadas em solo viram monstros enormes e já em vasos de 8 litros de terra nao chegam 2 metros de altura.

A questao onde queremos chegar é a de que um cultivo em interior fica difícil deixar a planta crescer por que ela pode chegar até a lampada e queimar, entao é muito importante respeitar a distancia entre a planta e a lampada que sao: para lampadas de 250w. 15cm, para as de 400w. 20cm e para as de 600w 30cm de distancia. A planta que sofre uma queimadura tem o seu metabolismo diminuído até que ela se recupere da queimadura, o que pode levar de 2 a 5 dias e a parte afetada nao volta mais a ser verde.

Em um armário de 2 metros de altura com uma lampada de 400w já se sai perdendo de cara 20cm de espaço em altura entre a planta e a lampada, mais o espaço de 20cm da instalaçao da lampada e mais o espaço do vaso que é geralmente de 30cm (vaso 8 litros), total de 70cm de altura perdida. A altura efetiva que sobra para o crescimento da planta é de 1 metro e 30cm.

Plantar uma índica ou afghana nesse armário já é dificil ! Imaginem uma sativa? Impossível!!!Temos que levar em conta que a planta cresce quase o o mesmo tamanho que atingiu no seu crescimento vegetativo em sua floraçao, ou seja, se vc induziu a floraçao da planta trocando o foto-período quando ela tem 80cm ela vai chegar a quase 1,60m quando estiver acabando a floraçao, e nao adianta induzir esta floraçao antes da planta ganhar a maturidade para a floraçao, que é quando saem as pré flores, mais ou menos quando a planta chegar ao seu décimo terceiro talo(Ramas Laterais).

Existem muitas técnicas para fazer a sua planta crescer menos ou freiar o seu crescimento. Usar uma quantidade menor de terra é uma soluçao para a planta crescer menos, a poda é outra soluçao usada para isso. Também as técnicas de estanque de crescimento com tela como o scrog. O cultivo de plantas clonadas e híbridos de ruderalis resultam em plantas pequenas e facilitam também. Mas o mais fácil de todas as técnicas é esssa porque se pode fazer em qualquer planta e nao tem contra indicaçao, nao necessita cálculos de tamanho de planta e quantidade de terra, nem de telas, nem a busca de uma semente específica ou a produçao de clones. Ë só dobrar e amarrar!!!

A dobragem consiste em se trabalhar o caule com cuidado projetando levemente em forma de arco fazendo com que a planta envergue mas nao quebre. Com um laço frouxo envolva o caule e amarre a planta em algum ponto fixo mais baixo que ela. (Usar um cordao de nylon macio e nao apertar o nó no caule). Essa técnica só pode ser aplicada enquanto a planta está na fase do crescimento vegetativo (foto-período 18/6). Se esse processo é realizado em meio a fase de floraçao os hormonios da planta se modificam muito podendo transformar a planta em hermafrodita.

Depois que a dobragem é feita a planta leva de 3 a 7 dias para se recuperar e nesse tempo ela coloca todas as suas ramas e camaroes apontados para a luz, vc poderá educar algumas ramas que ficarem desprovidas de luz guiando-as até a luz e amarrando-as até que fiquem sózinhas na posiçao.

Existem plantas mais maleáveis que outras fazendo com que o serviço fique mais fácil, as sativas sao muito flexíveis e já as índicas sao mais problemáticas para esta técnica pq sao duras, mas com um jeitinho vai. O segredo é ir trabalhando a planta devagar uns tres ou quatro dias antes da dobragem final, tem que tomar cuidado para que o caule nao se quebre, pq se isso acontecer vc terá que fazer uma tala de palitos de picolé na planta e depois vai ficar muito difícil executar a técnica novamente.

Bem, agora vc já vai poder plantar aquela sativa que vc nunca plantava porque nao tinha altura suficiente para isso, ou aquela índica grande com muuuuuuita terra. Já os que plantam em ezterior nao vao se incomodar com a ponta da sua planta de amostra para todos! Hehehehe.

Boa sorte e boas dobradas!

Planta dobrada pronta para a colheita.





terça-feira, 29 de abril de 2008

"Cuidando das crianças"


Muitas dúvidas e muitas lendas entram em jogo quando falamos em cultivo de cannabis no Brasil.
Entao começam a falar porcarias como: "Coloca cascas de fruta na terra!" ou "Rega com leite!" ou " Mata as femeas e fuma os machos!" ARRRGH!!! Idiotices como essas só criam mais dúvidas nas cabeças de nossos pobres cultivadores iniciantes e as vezes podem destruir cultivos fazendo assim com que a pessoa até possa desistir de cultivar!
Por isso para que voce fique ligado nós deixamos aqui umas informaçoes básicas de primeiros socorros para as nossas queridas criancinhas hehehe!!
Os problemas mais comuns são, o excesso de água e de fertilizantes, seguidos de perto por pH incorreto e raízes emaranhadas. Antes que quaisquer tentativas de remediar sejam tomadas, esses fatores deverão ser considerados.
Deficiência de Nutrientes – Raramente acontecem nos jardins modernos. O que as pessoa vêem como deficiência de nutrientes, 9 em cada 10 vezes é problema de pH. Um pH muito alto ou muito baixo trava a capacidade da planta de absorver os nutrientes, por isso elas aparentam estar deficientes, quando na verdade existem nutrientes em quantidade mais do que suficientes na solução/solo. Adicionar nutrientes só piora a situação, desregulando o pH ainda mais e aumentando a quantidade de partículas no meio.Solução - O melhor a fazer, caso seja detectada qualquer forma de deficiência de nutrientes, é medir e ajustar o pH.

Excesso de Água – Sinais de excesso de água incluem: Folhas murchas, curvadas e amarelando. Também uma boa indicação é o constante cheiro de terra molhada em sua estufa/jardim.Solução – Aumente a temperatura e o fluxo de ar para evaporar o excesso de água. Você pode também adicionar h2O2 (Água Oxigenada) para ajudar as raízes a receberem oxigenação. Apenas não regue em excesso, somente quando o solo/meio estiver seco. Se o seu solo estiver encharcado, transplante sua planta para um novo vaso com solo seco e fresco.

Excesso de Fertilizante – Sinais de excesso de fertilizante incluem: Folhas queimadas/ mortas nas pontas/laterais e curvadas para baixo.Solução – Verifique e ajuste para o pH desejado. Enxágue e diminua o nível de fertilizante/nutrientes.

pH Incorreto – Problemas com pH podem se manifestar de diferentes formas, desde deficiência de nutrientes até excesso de fertilizante e folhas queimadas.Solução – A única forma de saber é medindo e ajustando o nível do pH

Estresse por Calor – Sinais de estresse por calor se assemelham muito a queimaduras por nutrientes, exceto que elas ocorrem no topo da planta, próxima das lâmpadas. O amarelar das folhas superiores é causado normalmente por proximidade das lâmpadas HID.Solução – Uma forma de saber se as suas plantas estão muito próximas é colocar as costas da mão entre elas e a lâmpada, por alguns minutos. Se você sentir uma sensação de desconforto é porque elas estão muito próximas e a lâmpada deverá ser ligeiramente afastada.

Problemas nas Folhas
Amarelar - Acontece por falta de clorofila. Possíveis causas podem ser, drenagem insuficiente do solo, raízes danificadas, raízes compactadas, alta alcalinidade e deficiência de nutrientes.Solução – Mais uma vez lembre-se de checar o pH.**Nota – Nas últimas semanas de florescimento um amarelar nas folhas é completamente normal, pois a planta usa todos os nutrientes estocados.

Amarelar nas Folhas Inferiores e Medianas – Esse amarelar nas folhas mais antigas é possivelmente um sinal de deficiência de Nitrogênio (N). Como esse é um nutriente transferível (quer dizer que a planta pode movê-lo quando necessário), se uma planta não está recebendo Nitrogênio suficiente das raízes então ele será "roubado" das folhas mais antigas. Plantas com deficiência de Nitrogênio geralmente demonstram falta de vigor e crescimento pobre, resultando numa planta fraca e atrofiada. Em Sistemas Hidropônicos normalmente o pH está muito alto travando a absorção do Nitrogênio disponível na solução. Em solo, amarelar também pode ser indicação de raízes emaranhadas.Solução – Primeiro verifique e ajuste o pH. O pH correto para a cannabis é 6.3 – 6.8 quando em solo e 5.5 – 6.1 quando em Sistema Hidropônico. Segundo, certifique-se de estar fornecendo a quantidade/tipo correto de fertilizante/nutriente. Para o estágio vegetativo a cannabis precisa de um alimento rico em Nitrogênio, na taxa NPK de 2-1-1 ou (20-10-10)

Amarelar nas Folhas Superiores – O amarelar nas folhas novas pode ser um sinal de deficiência de Enxofre (S). Essa deficiência é bastante rara mas começa com o amarelar de uma folha nova por inteiro, incluindo as veias. Outros sinais são, raízes alongadas, galhos rígidos e a ponta das folhas enroladas pra baixo. **Nota – Na maioria dos caso o amarelar nas folhas superiores e causado por proximidade das lâmpadas.Solução – Verifique e ajuste o Ph, além do nível de fertilizante/nutriente para se certificar de estar fornecendo o tipo/quantidade corretos para o seu estágio de crescimento. Faça o teste da mão e veja se está muito quente.

Folhas Enrolando pra cima – Pode ser sinal de deficiência de Magnésio (Mg) causada por um nível de pH baixo. A falta de Magnésio pode ainda gerar amarelamento (com posterior escurecimento e folhas secas) e amarelamento entre as veias, começando nas pontas das folhas mais antigas e progredindo para o centro. Pode ser também um sinal de excesso de calor e humidade dentro da estufa.Solução – Verifique e ajuste o pH, já que fora do nível ideal a planta de marijuana perde a capacidade de absorver os elementos essenciais requeridos para um crescimento saudável. Se você estiver cultivando em solo, o Magnésio começará a ser travado com um pH de 6.5 ou inferior, em hidroponia começa com 5.8 ou inferior. Se o pH for o correto, então adicione ¼ de colher de chá de Sulfato de Magnésio Heptahidratado (Epsom Salt) por litro de água. Ou para nutrição foliar, dilua a dose anterior com 2 partes de água e borrife periodicamente nas folhas.

Nota – Se a água da torneira tiver acima de 200 PPM o Magnésio será travad por excesso de cálcio (Ca) na água. Magnésio pode ser travado por excesso de Ca, de Cloro (Cl) ou Nitrogênio Amoníaco (NH4+). Se esse for o seu problema use água mineral.
* Folhas Enrolando pra baixo – Quando isso ocorre, associado com pontas e margens queimadas é costumeiramente um sinal de que o nível de nutrientes está alto demais.Solução – Verifique e ajuste o pH. Enxague e diminua o nível de nutrientes.

Folhas Murchando – Geralmente ocorre por excesso/falta de água ou pouca luz.Solução – Quando em solo, primeiro coloque o dedo ou um medidor de humidade alguns centímetros abaixo do solo e verifique se está seco ou húmido. Se excesso de água for o seu problema, aumente a temperatura e a circulação de ar em sua estufa para evaporar um pouco do excesso. Adicione h2o2 (Água Oxigenada) diluída em água.**Aviso! – Excesso de água crônico pode levar a raízes podres/estagnadas e solo enlameado. Caso você detecte esse problema, transplante para um vaso novo com terra fresca e seca. Em Sistemas Hidropônicos, verifique se o meio está húmido ou seco, antes de adicionar água ou ligar a bomba. Se o meio ainda estiver muito húmido, ou muito seco, você precisará verificar seu jardim com mais frequência para checar a disponibilidade de água em seu sistema. Por último, se falta de luz for seu problema, adicione mais luz.

Problemas com Raízes

Raízes Emaranhadas – Isso ocorre quando as raízes crescem mais do que o pote em que elas estão contidas. Plantas cujas raízes estão emaranhadas exibem um crescimento atrofiado, fino, lento e com produção de "camarões" pequenos, folhas murchas facilmente queimadas por nutrientes, necessitando de água constantemente. O amarelar das folhas antigas progressivamente subindo até que todas as folhas sequem e morram, é um sinal significativo desse problema.Solução – Transplante imediato para um vaso maior. A receita de bolo é, 4 litros de solo para cada 30 cm de altura, exceto em clones que podem utilizar uma medida menor. Ao delicamente retirar a massa de raízes, inspecione e veja se as raízes formam um círculo fechado em volta da massa, em caso positivo, tente muito gentilmente desprender essas raízes da massa de terra. Se as raízes estiverem muito emaranhadas então você poderá cortar algumas fatias de 1 cm em torno da massa com um instrumento afiado e esterilizado, antes de colocar a planta em seu novo vaso. **Nota – Não compacte o novo solo no fundo do novo pote, deixe-o aerado porém ser bolsas de ar, para que as raízes penetrem facilmente.
Raízes Atrofiadas – Ou crescimento lento ou nenhum de novas folhas podem ser devido a deficiência de cálcio (Ca), intoxicação por Alumínio (Al), Cobre (Cu), pH Ácido ou tóxinas no solo.Solução – Como sempre, verifique e ajuste o pH. Se houver qualquer tipo de intoxicação do solo, então você precisará enxaguá-lo completamente.
Problemas nos Galhos

Quebra de Galho ou Caule – Isso poderá ocorrer mais cedo ou mais tarde com qualquer um. Isso pode ocorrer por tentativa de treinar a planta, animais derrubando vasos ou refletores caindo em cima, etc Não importa como aconteceu, só não há motivo para pânico.Solução – Consertar não é problema, faça talas com palitos de sorvete e prenda com fita crepe ou esparadrapo. Um canudo do Mc Donald’s cortado ao longo pode ser um ótimo método de "engessar" o caule/galho. Dê uma semana para que a planta se recupere e volte a crescer.
Sigam esses conselhos e boa sorte a todos!!!
Essa semana: Ganhador do concurso a foto do mes ABRIL. Nao percam!!!

quarta-feira, 9 de abril de 2008

10 dicas importantes para o maconheiro de primeira viagem.


Se vc já tem 18 anos, é dono do próprio nariz, trabalha, se sustenta e decidiu ceder a aquela curiosidade de saber como é a onda de "fumar um baseado", mesmo que seja só pra seber qual é! Ter o poder de tirar as suas próprias conclusoes, formar sua opiniao a respeito da erva, sabendo do que está falando de verdade é muito bom.
Mas para que voce evite passar por algum mal estar ou bad trip, nós, o Informativo Cannábico deixamos para toda a galera umas dicas que serao muuuuuito úteis na prevençao de desafetos com a erva e também na hora que a situaçao nao estiver muito controlada por voce! hehehe


As propriedades da cannabis (maconha ou haxixe) são conhecidas há muito tempo em diversas culturas. A planta faz com que você se sinta alegre e relaxado e seus efeitos duram cerca de duas a três horas. No entanto, como ocorre com outras substâncias psicoativas, a cannabis pode ser usada indevidamente. Considerando que, mesmo que haja mais repressão ou que aconselhemos e imploremos de joelho aos cidadãos e cidadãs que não fumem maconha, mesmo assim eles e elas vão fumar, as 10 dicas seguintes podem ser úteis para um uso consciente:


1. Existem grandes diferenças entre as várias espécies de cannabis: algumas são mais fortes do que outras. Quando você fuma pela primeira vez, ainda não conhece os seus limites. Algumas plantas tem o nível de THC elevado e outras já mais moderadas.
Por isso é importante buscar informação antes de fumar, converse com quem já fumou da planta que vc vai fumar e pergunte sobre a qualidade do produto.

2. Se você tem pouca experiência com a cannabis, não é aconselhável fumar em exesso ou beber álcool ao mesmo tempo.

3. Quando a cannabis é queimada, são liberadas substâncias prejudiciais à saúde (alcatrão e monóxido de carbono). Além disso, quando você mistura cannabis com tabaco, também corre os riscos associados ao cigarro.

4. A cannabis pode influenciar o seu poder de concentração. O usuário deveria buscar fumar em locais seguros e em situações que não envolvam grande responsabilidade. (trabalho, uso de máquinas etc.)

5. Se você está tomando algum medicamento, é importante perguntar ao médico se a cannabis interfere com o tratamento. Como ocorre com o cigarro, não é aconselhável fumar durante a gravidez.

6. Se você comer bolo de cannabis, considere que demora cerca de uma hora para o efeito começar a ser sentido. Espere um pouco e não coma outra fatia, porque quando perceber que comeu demais, pode ser tarde e você pode não se sintir bem.

7. Às vezes ocorre de o efeito da cannabis ser desagradável: você pode se sentir doente, vomitar ou ficar com medo. Não fique sozinho. Vá para um lugar sossegado e coma ou beba alguma coisa doce. Não entre em pânico: em pouco tempo o pior já terá passado.

8. Se você fumou cannabis pela primeira vez e não gostou, não fume apenas porque seus amigos fumam. A atitude de não fumar maconha ou cigarro é saudável para você e seu grupo. Se você fuma todo dia, procure se informar para reduzir danos (vaporizadores e etc.).

9. Cuidado na hora de comprar cannabis. Infelizmente a intolerância de certos setores da sociedade tem contribuído para manter sua proibição, com resultados desastrosos. Se você estivesse na Holanda, não precisaria comprar cannabis na rua. Iria até um Coffee Shop, pediria informações e escolheria no cardápio o que deseja fumar. Sem violência. Sem paranóia. Sem falsos juízos de valores. Sem fazer disso um problema.

10. Apesar de a recente lei de drogas em tramitação no senado aparentemente estabelecer que o usuário não será mais enjaulado, ele ou ela não está livre de ser penalizado com serviços comunitários, multas e/ou tratamento compulsório. Ou mesmo com cadeia, se não cumprir as penas estipuladas ou for reincidente.

Ou seja, o usuário de cannabis continuará sendo um criminoso. Tanto faz a lei antiga ou a lei nova: nesse aspecto o Brasil mantém a mentalidade e as práticas jurídico-policial-militares da época da Ditadura. Ser preso por porte de maconha para consumo pessoal é o pior dano que a maconha pode provocar a qualquer pessoa.

Você pode fumar cannabis de vez em quando por diversão ou com finalidades terapêutico-medicinais, ou pode fumá-la tanto a ponto de conseguir fazer mal a sua saúde mental e física. Você é responsável por lidar ou não com a cannabis de uma maneira saudável.

Dicas adaptadas livremente de uma publicação do Voorlichtingsbureau Drugs/Jellinek, Holanda, 1997